skip to Main Content
10 Atitudes Para Elevar A Sua Empregabilidade

10 Atitudes para elevar a sua Empregabilidade

 

Diante de momentos difíceis (como uma crise econômica), dentre as opções que se tem, ficar parado não está entre as alternativas viáveis.

Pode ser que você esteja paralisado, pensando constantemente no momento econômico que o país enfrenta, mas a melhor alternativa a fazer é tomar alguma atitude, pois certamente há uma série de ações e possibilidades a sua volta, que talvez você ainda não tenha se apercebido.

Vamos às 10 Atitudes que podem elevar a sua empregabilidade, e lhe mobilizarem para as ações necessárias!

 

  1. Tenha uma Mentalidade Vitoriosa

Que tipo de crenças povoam a sua mente? (e de novo, não estou falando de crença religiosa). O que você anda dizendo pra você mesmo diante do espelho? Seu espelho tem xingado você, ou tem lhe elogiado? Pergunto isso porque Mentalidade (Mindset) nada mais é do que a forma como enxergamos o mundo. Para usar uma expressão que gosto bastante, são as lentes através das quais vemos o mundo a nossa volta. E porque destaca-la aqui como uma Atitude? Porque a partir do momento que você se apercebe ou toma conhecimento disso, está ao seu alcance fazer alguma coisa. Quer superar problemas ou suas limitações? Tenha uma mentalidade vitoriosa.

Não se pode ter uma mentalidade vitoriosa quando se fala de problemas, de dificuldades, de crise, o tempo todo. Pense nisso!

 

  1. Identifique seu momento atual (ouça esta atitude aqui)

Se possível, faça uma breve reflexão comigo agora. Visualize sua trajetória profissional numa linha do tempo, do início de sua carreira até aqui. Selecione um ou mais momentos de conquista em sua história profissional até esta data, que representem como você se saiu bem em momentos difíceis que você já passou. Se estiver ao seu alcance agora, feche os olhos e reviva por alguns instantes essas conquistas, como elas lhe fizeram bem; como você se sentiu empoderado; veja que todas as dificuldades que se apresentaram naquelas ocasiões, foram superadas por você!!

Agora identifique este momento atual, os desafios que você tem pela frente. Que momento é esse? Nesse percurso, em qual direção você está seguindo? Veja que você traz em sua bagagem até aqui experiências que serão úteis para o percurso que você tem pela frente! Mesmo os erros cometidos dão a você a experiência necessária para acertar nas próximas oportunidades. Para onde você deseja ir, profissionalmente? Vislumbre essa sua meta, e se imagine já tendo alcançado o seu objetivo, utilizando todas as suas habilidades, conhecimentos e experiências. Agora faça os ajustes necessários e siga adiante.

 

  1. Identifique onde está o seu foco hoje (assista esta atitude aqui)

Estamos de volta com a série de 10 Atitudes para elevar a sua Empregabilidade em tempos de crise. E a Atitude de hoje é: Identifique onde está o seu foco hoje. Ao quê exatamente você vem dando atenção no ambiente corporativo? Com o que você vem gastando suas energias nos últimos tempos? Observe se você vem dando espaço para fazer ecoar a sua insatisfação ou a insatisfação de um determinado grupo dentro da empresa! Verifique se você anda frequentando rodas de conversas onde o tema principal é a forma que o seu gestor acordou hoje! Fique atento se você ultimamente tem endossado tudo de ruim que existe em sua empresa, ou se consegue enxergar e ser grato ao que há de bom!

Se você está, com frequência, às voltas com o que lhe distancia do seu crescimento, aonde isso vai lhe levar, já que não vai te fazer evoluir? Quando você vai ajustar o seu foco, e mirar aquilo que vai te beneficiar profissionalmente? O que você está esperando? Pense em como você pode direcionar a sua atenção para aquilo que vai te trazer bons resultados no campo profissional e na vida como um todo, e entre em Ação.

 

  1. Eleve a sua produtividade (ouça esta atitude aqui)

Num momento em que as empresas estão reduzindo os custos envolvidos em suas operações, destacar-se pela elevação da produtividade pessoal é um diferencial.

O Brasil está entre os países menos produtivos do mundo, segundo pesquisa publicada em 2016 pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que avalia a taxa média de crescimento ao longo de 10 anos. Naturalmente que estes índices sofrem interferências de fatores conjunturais que vão além do alcance do trabalhador, como no caso de infraestrutura, tecnologia, dentre outros. Portanto, longe de mim dizer que estes índices estão unicamente ligado a qualidade do capital humano disponível no mercado. Assim, produtividade não é algo que dependa exclusivamente da capacidade ou empenho do trabalhador, mas gostaria de citar uma contribuição que está ao seu alcance, como colaborador:

  • Elimine as distrações: as redes sociais, ao mesmo tempo que podem ser instrumentos de trabalho, podem ser vilões quando usadas sem critério, pois afetam negativamente a produtividade, na medida em que ocupa parte do expediente em algo que foge a finalidade do trabalho;

 

Que outra contribuição você pode dar nesse sentido?

 

  1. Invista em você (ouça esta atitude aqui)

Você já parou para pensar quantos cursos você fez nos últimos dois anos, patrocinados por você mesmo e não pela empresa? Qual a fatia da sua última renda anual, que você direcionou para a sua própria qualificação? Pergunto isso porque é possível que você invista tanto em coisas que não vão contribuir para o seu crescimento e desenvolvimento, que nem se dê conta de que você não vem fazendo um autoinvestimento.

Procure investir em algo que trará resultados e abrirá novas portas e possibilidades para o seu futuro. Invista em você. Pense nisso!

 

 

  1. Faça o que está ao seu alcance (ouça esta atitude aqui)

Esqueça os problemas que tem ocupado a sua mente e aquilo que as outras pessoas poderiam fazer por você. O que está ao seu alcance neste momento, em relação a sua empregabilidade, e que você pode fazer já? Você tem feito a sua parte? Atualmente é possível encontrar cursos on line gratuitos e de qualidade (os mais diversos), cursos de curta duração oferecidos por órgãos de fomento ao emprego, modelos de currículos na internet, dentre várias outras possibilidades.

Ficar pensando no que poderia ter acontecido, na ajuda que poderia ter recebido e não recebeu, tem contribuído para fazer você avançar em direção aos seus objetivos profissionais, ou tem deixado você às voltas, em um círculo vicioso, e sem dar os passos necessários? Erga seus olhos agora, e veja o horizonte a sua frente aguardando por você para conquista-lo. Comece por aquilo que você pode fazer, e as demais coisas virão como consequência do seu movimento inicial.

 

  1. Aprenda com os erros (ouça esta atitude aqui)

Ele é visto como um vilão, mas é um dos melhores professores, porque ensina com a prática, e aquilo que foi vivenciado dificilmente se esquece. Que aprendizados você traz consigo dos erros cometidos? Não se engane, nenhum de nós está isento! Melhor que fugir deles, é encará-los e tirar proveito dessas experiências. O que você dirá quando um recrutador perguntar: “Diga um erro que você já cometeu, quais foram as consequências e as possíveis lições que você apreendeu dessa experiência?” Gaguejar nessa hora não é a melhor alternativa. Se você não tiver uma resposta, um recrutador perspicaz fará a pergunta novamente ao final da entrevista. Então, rever os erros, nos ajuda a dar um novo significado àquela experiência e a extrair dela as lições para o que vem pela frente.

 

  1. Seja o protagonista da sua carreira (ouça esta atitude aqui)

Se colocar na posição de vítima é, em certa medida, confortável, porque lhe deixa livre de parte da responsabilidade que lhe cabe. Mas é danosa porque não produz crescimento pessoal. Imagine alguém que havia recebido o comunicado de uma promoção, e depois a empresa desistiu. Esta promoção não veio, e desde então esta pessoa tem propagado aos quatro cantos na empresa sobre o tamanho dessa injustiça, e o quanto ela foi vítima de uma política de RH pouco transparente. Eu não estou querendo sugerir com isso que a pessoa deveria se conformar. Mas já aconteceu, já se conversou com a empresa e ela percebe que a política adotada é pouco ou nada transparente. Se colocar na posição de vítima irá ajuda-lo? Seria mais prudente permanecer na empresa? E se essa pessoa iniciasse um movimento pessoal para se recolocar? Mesmo que você tenha passado por alguma experiência difícil, não se permita ficar na posição de vítima por muito tempo. Seja o protagonista da sua carreira. Pense nisso!!

 

  1. Dê atenção à sua Saúde Mental e Emocional (ouça esta atitude aqui)

Você tem sentido uma tristeza persistente, desinteresse nas atividades comuns, baixa energia, baixa autoconfiança, perda do foco? Estes podem ser indícios de que alguma coisa não vai bem com você. Não hesite em procurar ajuda de um profissional de psicologia clínica. Mesmo para quem não tem recursos, as universidades com Psicologia, disponibilizam atendimento psicológico em suas clínicas próprias, e em muitos casos fazem isso gratuitamente.

Esse é um tema que merece atenção, pois uma das consequências do ritmo muito intenso nas empresas é a pressão no trabalho. O que cito a seguir não tem nenhuma validação acadêmica ou científica, é apenas como eu vejo a pressão no ambiente corporativo. Uma é a ‘pressão Do trabalho’, aquela natural da atividade que você exerce e da dinâmica diária do trabalho naquela área específica. Esta é mais previsível porque faz parte do escopo, desde quando você se propôs a atuar naquela atividade. A outra é a ‘pressão Das pessoas’, aquela exercida normalmente pela gestão. Está relacionada ao perfil do gestor (ou da pessoa que exerce a pressão), e não à natureza da atividade em si. Eu diria que esta última tem um potencial ofensivo capaz de levar uma pessoa ao seu limite emocional, e quando essa ‘pressão Da pessoa’ é exercida de forma abusiva, recorrente e prolongada, caracteriza-se em assédio moral (por parte do gestor/empresa), passível das penalidades previstas em legislação. Os dados são alarmantes, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), daqui a três anos (em 2020) a Depressão já será a doença mais incapacitante do mundo. Não espere chegar ao limite se você vive situação semelhante. Procure ajuda para que você restabeleça a sua melhor forma, e não tenha a sua empregabilidade afetada mais adiante.

 

  1. Projete o futuro que você deseja, e lute por ele | Enxergue o futuro que você deseja, e batalhe por ele (ouça esta atitude aqui)

Visualize o mais à frente que puder. Já está provado cientificamente que o nosso cérebro faz o mesmo esforço quando executamos algo, ou quando apenas imaginamos a execução daquela ação. A mentalização é uma técnica de PNL usada por muitos atletas em seus treinamentos. Eles dedicam momentos apenas a imaginarem a jogada ideal: o movimento, a força que precisam empregar, a vibração da plateia, o que estarão pensando naquela ocasião (uma espécie de ensaio mental). Ao fazer isso e repetir por várias vezes, novas conexões neurológicas são estabelecidas e reforçadas, para viabilizar a execução propriamente dita, daquela jogada. É claro que nada substituirá a ação propriamente dita.

Construa agora essa ponte até o seu futuro, e imagine você pondo em prática cada uma das Atitudes necessárias para elevar a sua empregabilidade. Como você age quando pensa de forma vitoriosa? Imagine já tendo se apropriado do seu momento atual e focado no seu objetivo. Como consequência, veja você alcançando melhores resultados, e fazendo tudo o que está ao seu alcance para investir em você. Observe que você aprendeu com os erros, tem se dado mais atenção e assume agora o protagonismo de sua vida profissional.

o que você vai ver quando estiver lá, que sensações que terá por ter alcançado seus objetivos, o que você vai ouvir naquela ocasião em que você atingir sua meta? Em que ambiente você estará? Faça esse exercício. Você já deve ter ouvido que sonhar, não custa nada. Então, o que você está esperando?….

 

Você curtiu essa jornada de 10 Atitudes para elevar a sua Empregabilidade? Comente abaixo qual destas atitudes lhe chamou mais a atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top